O controle da ansiedade no retorno ao trabalho, conforme perfil comportamental

Ciclos estão sendo retomados, expectativas criadas e mais um processo de adaptação sendo necessário nesse período de pandemia. E com isso, mais do que nunca, a ansiedade está sendo tópico de discussão e necessidade de controle por parte das pessoas. Técnicas de controle e autocontrole, lidar com medos e inseguranças, aspectos emocionais envolvidos. Tudo isso sendo necessário olhar e desenvolver. Seja você como indivíduo ou sendo líder de uma equipe! E como relacionar esse controle da ansiedade conforme o perfil comportamental?


O mapeamento do perfil comportamento já é conhecido por muitas pessoas e usada hoje em diversos ambientes empresariais e organizacionais. A análise DISC foi desenvolvida pelo psicólogo William Moulton Marston com objetivo de compreender os comportamentos tão diferentes que as pessoas tinham. E com isso, ele concluiu que uma parte significativa do comportamento humano poderia ser analisada por meio de quatro grandes características essenciais, que compõem o termo DISC.


É importante sinalizar que, apesar de quatro perfis diferenciados, todos temos as quatro características, mas com intensidades e relevâncias diferentes. E é através desse mapeamento que sinaliza a forma de como as pessoas tendem a se comportar. Todas as características apresentam aspectos positivos e negativos que compõem e influenciam o seu comportar-se. Além da variável de adaptação que pode ocorrer conforme o ambiente em que estiver envolvidos, e seu histórico de vida! Então, olhe esse mapeamento como uma sinalização de quem são pessoas, diferente de uma verdade absoluta. Vamos a uma breve descrição:


O D de Dominância tem como característica exercer controle sobre. Pessoas com essa característica principal lida com adversidades e desafios com mais assertividade. São diretas, ousadas e competitivas por natureza, visando resultados e controle. Precisam de autonomia e visualização de oportunidades de crescimento. Como seu objetivo é entrega e resultados, seus medos e inseguranças estão relacionados ao fracasso, perda de poder, autonomia e autoridade, ter que se submeter à alguém inferior ou mesmo reconhecer seus próprios erros.


O I de Influência já tem como prioridade a comunicação e sociabilização. Seu foco é pessoas e sua influência. Pessoas com essa característica relevante são mais extrovertidas, otimistas, calorosas e abertas. Gostam de chamar atenção, precisam estar envolvidos com os outros, o que facilita sua produtividade quando em equipe. Gostam de se expressar e valorizam o presente. Com isso, seus medos estão relacionados a rejeição, ficar sozinho, frustar as expectativas do outro, não ser reconhecido ou valorizado, entrar na rotina ou mesmo perder o prazer por suas ações.


O S de eStabilidade, como o nome já sinaliza, envolve equilíbrio, empatia e lealdade. Seu foco principal é o bem estar do outro. Por isso são bons ouvintes, atenciosos e demonstram interesse pelo sentimentos. Já gostam de trabalhos mais repetitivos ou rotineiros. Priorizam relacionamentos a longo prazo e buscam sempre por consenso. São ótimos planejadores e lidam bem com processos. Como gostam de ambientes mais tranquilos e harmônicos, seus medos estão relacionados com cenários imprevisíveis, ter que arriscar ou mesmo tomar decisões rápidas, machucar os outros, perder o autocontrole ou mesmo lidar com conflitos.


O C de Conformidade envolve estrutura, detalhes e fatos. São pessoas que demandam diretamente de regras e procedimentos para produção ou comportamentos. Apresentem precisão e raciocínio lógico, analítico e racional. Por isso, sua estrutura de pensamento é mais sistemática. São direcionados para tarefas e se posicionam de forma reservada. Como gosta de disciplina, os medos do conforme estão relacionados a cometer falhas, quebrar ou sair das normas, falta de controle quanto a todas as possibilidades envolvidas no que se propõe, informações incompletas, errar em suas decisões ou escolhas.


Com esse conhecimento, vamos a questão de como proporcionar mais controle da ansiedade, com foco em si mesmo e na equipe, com base nessas características.


A Ansiedade, como é de conhecimento, está relacionado as inseguranças, medos e anseios por resultados conforme expectativas, diante de uma situação desconhecida ou considerada sem controle. Uma das formas de manejo da ansiedade é o aprendizado e autocontrole de pensamentos ou mesmo da interpretação da situação com base em fatos e no presente. Se olharmos para cada perfil comportamental, o processo de construção desse controle pode variar, tanto no contexto pessoal quanto no profissional, e claro, nas relações de trabalho.


Vale ressaltar que o objetivo é trazer uma reflexão sobre si mesmo ou sobre sua equipe, quanto ao comportamento ou o aspecto emocional que pode influenciar as relações. No entanto, cada pessoa é única e com experiência de vida singulares! Então, não use essas informações como rótulos ou condições rígidas! E lembre-se, tudo deve ser adequado dentro da realidade do seu negócio.


No caso do perfil dominante, para uma proposta de controle da ansiedade, é necessário que ele tenha como base metas e resultados estabelecidos para serem atingidos. Sua motivação é fazer essa entrega, então o processo de conscientização para que ele se adeque as regras ou condições de convívio deve ter como base o quanto isso facilitará para que essa entrega seja realizada. Diminuir os excessos de controle também promove menos ansiedade, já que uma das suas características é autonomia e independência.


Já o influente precisa essencialmente estar envolvido com alguém. Provavelmente nesse tempo de isolamento foram pessoas que mais sofreram em função do distanciamento ou demandaram contato on line ou da família. Então, estarão retornando ao convívio com muitas expectativas, demandando mais atenção. Como são pessoas criativas, aproveitar essas características para ideias ou adaptações para deixar o ambiente mais leve é vantajoso e acaba funcionando também como valorização, que é tão importante para ele, e quebra de rotina.


O estavél já demanda de ambientes e posturas mais cuidadosas no intuito de trazer segurança pra ele. Pessoas com esse perfil são resistente a mudanças, e diante dessa instabilidade do ambiente por si só a ansiedade já aumenta. No retorno ao ambiente de trabalho o ideal é mexer o mínimo com essas pessoas, ou, se necessário mexer, explicar com mais calma a mudança e ter empatia com algumas reações que podem surgir. São pessoas que talvez não exponham o que sentem para não lidar com conflitos, mas sofrem por dentro pelo incomodo, com isso, talvez comprometendo sua produtividade.


E o conforme já precisa da clareza das novas regras ou procedimentos para se sentirem mais seguros em sua execução e entrega. Mudanças que forem necessárias, deverão estar bem estruturadas e explicadas para pessoas com esse perfil.


Esse é o contexto se envolvermos apenas a mapeamento pelo DISC, que como já sabemos, tem como objetivo entender os comportamentos observáveis. No entanto, novos inventários como a ferramenta do CIS Assessment envolve o mapeamento do DISC e considera mais duas grandes teorias avaliativas, relacionadas ao emocional ou cognitivo, que também influencia em nossos comportamentos que são:


1. Tipos Psicológicos de Carl Gustav Jung, que tem como objetivo demonstrar a forma de captar as informações e de julgá-las. Isso é relevante porque nos sinalizar as interpretações, percepções ou considerações que o outro ira fazer mediante uma mensagem ou questionamento.


2. Teoria de Valores de Eduard Spranger, que sinaliza os principais valores envolvidos que motiva determinadas atitudes, ou seja, os motivadores que direcionam nossas ações e indicam a maneira de enxergar a vida.


Com essas informações, além do perfil DISC que sinaliza o como, os Tipos Psicológicos e a Teoria de Valores complementam a análise tanto externa quanto interna e que também pode ser usado a favor desse controle da ansiedade, dentro do contexto de trabalho e para melhoria das relações interpessoais.


E como sinalizei acima, isso pode ser feito através do autoconhecimento, do mapeamento da equipe, e claro do desenvolvimento dos líderes para uso dessas informações, como também para autodesenvolvimento e autocontrole.


Como você tem olhado para si mesmo ou para sua equipe?

Quer ter certeza do seu perfil comportamental completo?

Acesse o link abaixo e responda para ter acesso a sua degustação do perfil geral.

https://cisassessment.com.br/degustacao/degustacaorelatorio


Boa prática!


Adriana Kalil

Psicóloga e Coach

www.psicologaadrianakalil.com

WhatsApp (11) 97110-0887


19 visualizações
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco

Atendimento OnLine Ou  Presencial

Av. Paulista, 726 - Bela Vista - São Paulo - SP  (260m do Metrô Brigadeiro)

Atendimento apenas com hora marcada!

Quer saber seu Perfil Comportamental?

Buscando sempre o melhor para possibilitar à você mecanismos e técnicas para encontrarem as respostas que procuram.

Deixe seu Contato

arrow&v